Quero fazer Cursilho
Escola Vivencial
Deixe seu recado
Aumentar fonte  Diminuir fonte  Indicar esta página  Imprimir esta página
Aula 16/06/2014
ESCOLA VIVENCIAL DO GED DE PIRACICABA – 2014
 
FORMAÇÃO NA FÉ: A ORAÇÃO
 
16/Junho/2014
 
 
As mãos abertas -: Rezar é entrar e permanecer na presença de Deus, com as mãos abertas e também o coração aberto. São muitas as coisas da vida às quais nos apegamos de mãos fechadas: as posses materiais são claro. Mas também nos apegamos a muitas coisas que não são simples matéria, como por exemplo, o trabalho que fazemos a posição social que temos os amigos que nos cercam nossas ideias, nossos princípios de vida, a nossa imagem perante os outros.
 
 Mas agora, vamos abrir as mãos. Pois bem, rezar é isso mesmo. Se estivermos dispostos a permanecer com as mãos abertas durante o tempo necessário, o Senhor virá e nos ouvirá. Olhará para as nossas mãos e mexerá um pouco nas coisas que nelas temos. Talvez o Senhor fique um pouco surpreso ao ver a quanta coisas inúteis nos apegamos e não queremos soltar. Muito provavelmente irá nos perguntar: “Vocês se importariam se Eu tirasse de suas mãos isto e aquilo?”. E nós responderemos: “Claro que podes tirá-las. É por isso que estamos aqui de mãos abertas”.
 
 Talvez, então, o Senhor nos olhe novamente e pergunte: “Vocês ficariam aborrecidos se Eu substituísse uma coisa por outra?”. E nós responderemos: “É claro que podes fazê-lo”. Pois bem, esse é o sentido e o núcleo da oração: o Senhor pode tirar algo de nossas mãos e pode também colocar algo nelas. Ninguém mais pode fazer isso, só Ele. Só temos que abrir as mãos e o coração e esperar o tempo necessário para o Senhor chegar.
 
O que é a oração -: a oração não é tanto uma procura de alguma coisa de que pensamos necessitar, pois a procura implica em certa impaciência, uma atividade: devemos fazer alguma coisa. Rezar, antes de tudo, é saber aguardar. O ato de aguardar coloca o foco no outro, naquele que vem. Devemos então saber esperar por esse outro. Esperar significa que somos impotentes e dependentes. Ora, diante de Deus, esta é a atitude certa. Não podemos forçar Deus a ver o que queremos, a fazer aquilo que esperamos que Ele faça. A única coisa que podemos fazer é esperar e estar presentes. Rezar, então, significa perder o nosso domínio próprio, pois quando rezamos, não temos mais poder sobre as coisas que temos nas mãos. É Deus quem tem tudo sob controle. Ele virá quando julgar que o tempo oportuno chegou. Quando será esse tempo? Pode ser agora mesmo ou pode ser até mesmo na Eternidade. É Ele quem sabe.
 
Paciência para aguardar -: o simples ato de aguardar pode ser sumamente significativo e expressivo. Isso pode ser compreendido com uma simples comparação: Suponhamos que combinamos sair com quatro pessoas, hoje às oito horas, mas apenas três aparecem na hora certa. Esperamos pela pessoa que falta, dez minutos, meia hora, uma hora inteira. Isso mostra que a quarta pessoa é muito importante para nós, sem ele não dá. Da mesma forma, esperarmos o quanto seja por Deus, deixa bem claro que Ele é importante para nossa vida e que sem Ele não há jeito.
 
Rezar é saber aguardar -: é este aguardar que vai marcar a nossa personalidade para Deus. Se estivermos dispostos a aguardar, ficamos diferentes. A oração torna o homem contemplativo e cheio de atenção. Em vez de manipulador e autoritário, o homem que reza transforma-se em uma criatura receptiva às coisas que realmente tem valor. Em vez de agarrar, o homem acaricia; em vez de morder, ele beija; já não questiona, mas admira.
 
As diferentes maneiras de rezar -: como em tudo nesta vida, é preciso saber rezar com consciência e atenção. Lembremos que a oração é uma conversa com Deus e não pode ser feita de maneira automática, sem a atenção requerida. Nem deve ser apenas o recitar de fórmulas, sem meditar sobre aquilo que estamos falando ou pensando.
 
 Lembremos também que podemos rezar sem necessidade de repetir as orações já consagradas, embora o Pai Nosso e a Ave Maria sejam indispensáveis, pois são orações originadas pelo próprio Senhor. Mas podemos também pedir, agradecer e louvar com nossas próprias palavras. Será como uma conversa de filho para pai, com respeito, mas também com muito amor.
 

Site criado com o sistema Easysite Empresarial da eCliente.
ECLIENTE INFORMÁTICA